Filiado as
seguintes entidades:

62 3365.1403
contato@stievrcrixas.com.br

Associe-se
Juntos somos mais fortes!

Você está aqui: Home ›› Informativos ›› Deputados criticam atraso na distribuição de vacinas pelo governo

Deputados criticam atraso na distribuição de vacinas pelo governo

O Sindicato
nas redes sociais!

Postado por admin - 27/07/2021

Oito capitais brasileiras tiveram que suspender nesta segunda (26) a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 devido à falta de imunizantes

Sem título

A aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 foi suspensa, nesta segunda-feira (26), em oito capitais brasileiras. Belém (PA), Campo Grande (MS), Florianópolis (SC), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Vitória (ES) tiveram que interromper a campanha por falta de doses.

O atraso do Ministério da Saúde na distribuição do imunizante gerou críticas entre deputados do PCdoB.

Segundo o vice-líder da Bancada na Câmara, deputado federal Orlando Silva (SP), a interrupção da campanha de vacinação em oito capitais é mais um resultado da negligência do governo federal no combate ao coronavírus.

“O Ministério da Saúde está sentado em cima de milhões de vacinas, atrasando a distribuição e, literalmente, esperando a morte chegar”, escreveu o parlamentar em suas redes sociais.

Orlando ressaltou que a coordenadora do Programa de Estadual Imunização de São Paulo, Regiane de Paula, “denuncia que o governo Bolsonaro tem recebido lotes diários de vacina Pfizer desde o dia 21 e não repassa ao estado”. “O resultado é o adiamento da vacinação de pessoas com 28 anos na capital. A negligência custa vidas!”, criticou.

Dados reunidos pelo consórcio de veículos da imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde, apontam que até o momento pouco mais de 44% dos brasileiros receberam a primeira dose; apenas 17% foram imunizados com as duas doses.

A deputada Professora Marcivânia (PCdoB-AP) também comentou a pausa forçada no cronograma de imunização por atraso na entrega das vacinas. “A questão é: não deram prioridade, pois não queriam vacinas, queriam era propinas. Sem vacinação rápida a retomada vai demorar ainda mais”, alertou no Twitter.

No final do mês passado, o ministro Marcelo Queiroga (Saúde) afirmou que toda a população adulta do Brasil receberia a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus até o final de setembro. Apesar da promessa, estados e municípios seguem com dificuldades no cronograma de vacinação por falta de imunizantes. No domingo (25), o Ministério da Saúde informou que fará o envio de doses para os estados e o Distrito Federal.

Fonte: Liderança do PCdoB na Câmara dos Deputados